27.02.09

Olá, meu amor.

 

Decidi esperar alguns dias até voltar a escrever neste blog. Talvez assim, o meu coração deixasse de doer com tanta intensidade, cada vez que penso na notícia que me deste na semana passada (ou há duas semanas? Já nem sei. A verdade é que me parece uma eternidade).

A dor ainda não passou, continua a latejar e não demonstra quaisquer sinais de melhora. Ainda assim, resolvi voltar. Como já disse antes, este blog acaba por ser o meu escape. Onde te digo tudo o que sinto, ainda que não o leias.

 

Ontem foste com ela, numa viagem para outro país. Cinco dias, só os dois, num país romântico. Vieste contar-me os teus planos entusiasmadíssimo. Receio que estejas a precipitar-te; estão juntos há apenas três semanas... Mas pode ser o meu ciúme a falar, por isso não vou prestar muita atenção a este pensamento.

 

Ontem à noite vieram alguns amigos nossos jantar cá a casa. Tu não vieste; ias de viagem... Com ela.

De alguma forma, a conversa foi em direcção à tua relação com ela. Admito que fiquei surpreendida com o que ouvi; aparentemente, não sou a única que não simpatiza com ela. Não houve absolutamente ninguém, em todo o grupo, que dissesse que gostava dela. De uma forma absolutamente egoísta, senti uma alegriazinha, uma chama muito pequenina. Pode ser que também tu, um dia, te apercebas de algumas das características dela... Das quais todos os outros já se aperceberam.

Acabei por ir para casa deles, para bebermos um copo e mostrarmos uns aos outros algumas músicas novas e, como se tornou tarde e lá fora quase nevava, acabei por pernoitar por lá.

Hoje de manhã, a meio de mais uma sessão de música, um deles acabou por me mostrar uma música, que escreveste, tocaste e cantaste para ela.

Quando ele carregou no play e a tua voz soou na sala, senti algo que, por mais que tente, não consigo explicar. Como uma mistura de angústia, amor e saudade.

 

E doeu. Doeu muito, aquela música.

Porque era linda. Uma balada romântica, com uma letra que só podia ter sido escrita por ti. Com uma voz, numa língua que é tua e já se tornou também minha, que só podia ter saído de ti.

Controlei todos os sentimentos que me abalavam e, embora chorasse por dentro, por fora sorri e elogiei a canção.

Só quando, horas mais tarde, cheguei a casa, é que me dei permissão para desabar. Um pouco, só um pouco.

 

Compus uma música para ti, hoje. Com letra em português, para ter a certeza que não percebes o que canto.

 

Foste embora há um dia, e já tenho saudades tuas.

 

Amo-te.

sinto-me: quase sem palavras...
música: a que hoje me fez chorar
publicado por Amora às 03:05

17.02.09

Olá, meu amor.

 

Ontem vieste falar comigo. Estavas sorridente e, suave como sempre, pegaste na minha mão e derreteste-me por dentro.

Perguntaste-me o que há de novo na minha vida, o que geralmente significa que estás morto para me contar alguma coisa.

"Nada", respondi eu. "E tu? Novidades?".

O teu sorriso deu-me a resposta. Sim, haviam novidades.

 

Disseste-me que estás feliz. Porquê? Porque encontraste alguém. Alguém que te satisfaz e te mima. Alguém com quem tens coisas em comum. Alguém com quem tens vindo a sair, ultimamente.

 

A cada palavra que dizias, senti que cortavas bocadinhos do meu coração. Senti um nó na garganta e fiquei ali, a sorrir e fingir que estava feliz. Dei-te os parabéns, mostrei-te a maior das felicidades, tal como esperavas que eu fizesse. Demonstrei surpresa quando me disseste que eu a conhecia, e concordância quando me revelaste quem é. No fundo, só queria que parasses de falar, para eu poder deixar-te e chorar à vontade.

A verdade é que uma parte de mim fica feliz por estares feliz. É importante para mim ver-te sorrir.

Mas quem me diria mim que a tua felicidade me podia provocar tanta, tanta dor?

"Queria contar-te isto. Obrigado por seres tão minha amiga!".

De nada, meu amor. De nada.

Apeteceu-me deixar tudo para trás e voltar para Portugal, de onde nunca deveria ter saído.

 

Não sei se esta relação vai durar. Provavelmente não porque, conhecendo os dois como conheço, não me parece que o fogo seja eterno. Mas a verdade é que nunca se sabe.

Seja como for serei, em silêncio, a pessoa com quem poderás sempre contar.

Espero por ti, meu amor.

 

Amo-te.

 

PS: Hoje comprei o teu cd, online. Sei que é pior, mas ouvir a tua voz dá-me paz de espirito.

música: Toni Braxton - How could an angel break my heart
sinto-me:
publicado por Amora às 03:35

14.02.09

Olá, meu amor.

 

Estava a tocar uma das nossas músicas, quando me veio à cabeça como tudo começou.

É difícil para mim precisar exactamente o momento em que me apaixonei por ti.

Lembro-me do dia em que nos conhecemos. No meio de tanta gente, não me chamaste a atenção em particular. No entanto, quando pegaste na tua viola e cantaste, houve algo em mim que ficou em alerta.

Na altura não sabia que eras cantor profissional, ou que tinhas CDs e fãs em outros países (aliás, só soube dos CDs há pouco tempo e, sobre as fãs... não vou comentar).

Passados alguns meses, soube que estavas noivo. Lembro-me de pensar que era um desperdício. E lembro-me também de, nessa noite, termos tirado a nossa primeira foto juntos.

Ouvia comentários sobre como eras lindo, simpático. Se estivéssemos no ensino secundário serias, provavelmente, considerado o "bonzão da escola". Aquele por quem todas as miúdas suspiram.

Entretanto fomos começando a falar e, à medida que o fazíamos, eu percebi o quanto temos em comum. O dia em que te abriste comigo e me falaste dos teus pais... Senti que, nesse dia, houve uma barreira entre nós que se quebrou.

Alguns meses depois, disseste-me que tu e a tua noiva acabaram. Mais tarde, soube que foi ela quem acabou tudo. Entraste num mar de depressão. Foi difícil ver-te assim, acredita.

Agora, finalmente, vejo que estás pronto para recomeçar. Talvez não num relacionamento sério, pois sei que ainda suspiras por ela. Mas já te vejo sorrir, e não imaginas a alegria que isso me traz.

 

Pensar em nós traz-me muitas, muitas memórias... De conversas, de momentos.

Pode ser que, um dia, te apercebas do quão importante és para mim. Até lá, serei sempre tua amiga, tua confidente, teu ombro em momentos menos bons.

 

Amo-te.

 

** Não revelarei aqui a identidade de nenhum dos dois. Não revelarei tão pouco o país em que vivemos. Para o objectivo com que criei este blog, basta que apenas eu saiba que somos e o lugar onde suspiro por ti.

música: When you say nothing at all
sinto-me: in love...
publicado por Amora às 22:12

Olá, meu amor.

 

Hoje é o dia de São Valentim. Dia dos namorados.

Pergunto-me se estarás hoje com alguém. Talvez com amigos? Talvez com alguma mulher com a qual preencherás o vazio que sentes na alma, ainda que só por uma noite?

Pergunto-me se estarás sozinho, a beber um copo do teu vinho preferido ou de rum com cola, enquanto relaxas na banheira cheia de água quente, ao som da música clássica de que tanto gostas...

O meu lado altruísta deseja que estejas com alguém e que, ainda que durante apenas uma noite, sejas feliz. O meu lado egoísta deseja que estejas sozinho... Ambos os lados desejam que estejas a pensar em mim.

Se soubesses, meu querido, o quanto gostaria de passar esta noite contigo...

Segunda-feira vemo-nos de novo. Antes disso virás, provavelmente, falar comigo através do Skype, para me mostrares qualquer nova música que descobriste ou para, simplesmente, falarmos da nossa vida em geral. São momentos como esses que guardo junto ao meu coração.

 

Feliz dia dos namorados.

 

Amo-te.

 

música: Wonderful tonight - Eric Clapton
sinto-me: só...
publicado por Amora às 19:19

13.02.09

Olá, meu amor.

 

Criei este blog para, de alguma forma, poder explicar o que sinto. Cheguei, desde há pouco, à conclusão de que guardar todos estes sentimentos só para mim pode chegar a ser prejudicial. Não ter ninguém para falar sobre o que sinto cada vez que te vejo, cada vez que te toco, faz-me mal.

Assim, este blog servirá para te explicar a ti tudo o que se passa. Dentro do meu peito, dentro da minha cabeça. Tu nunca lerás este blog, nem tão pouco saberás sobre a sua existência. Mesmo se soubesses, não entenderias palavra, pois não falas português.

Sinto-me então segura para escrever tudo aqui, onde sei que nunca tu ou ninguém que conhecemos o lerá.

Até porque, se entendesses... Não saberias que se trata de nós. Porque não fazes ideia, meu amor, a mais pequena ideia... do que sinto por ti.

 

Amo-te

música: don't know why - Nora Jones
sinto-me: sem saber para onde ir
publicado por Amora às 15:14

Eu amo-te. Tu não sabes. Eu nunca terei a coragem de te dizer.
mais sobre mim
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12

15
16
18
19
20
21

22
23
24
25
26
28


arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO