11.06.09

Olá, meu amor.

 

Hoje passei algum tempo a pensar neste assunto e decidi que, talvez se escrevesse aqui sobre isto, as coisas se tornassem um pouco mais claras. Então, cá vai:

 

Desde pequenas, é-nos ensinado algo que, com o passar do tempo, aceitamos como verdade universal: a única forma de sermos felizes e de nos sentirmos completamente realizadas é tendo "alguém".

 

Namorado, marido, whatever. Contam-nos as histórias de encantar, compram-nos as cassetes (no meu tempo, agora serão DVDs) da Disney, onde existe sempre um final feliz da protagonista, ao lado do seu príncipe encantado.

 

Crescemos a acreditar que, se não conseguimos encontrar alguém, isso significa que nós temos um problema.

Crescemos a ver o resto da família a olhar de lado para aquela tia que nunca se casou, e a murmurar "Oh, coitada...".

 

Mas, e se a verdade for essa? E se a verdade for que não precisamos, na realidade, de ninguém para nos sentirmos completas?

E se essa tia, para a qual todos olham de lado, se sentir feliz com a sua vida?

 

Procuramos sem cessar esse alguém. Esse alguém que não só nos fará subir às nuvens, mas que ficará lá connosco. Para sempre.

 

Esse alguém vai estar ao nosso lado nos bons e maus momentos. Que nos vai abraçar quando nós precisamos, sem ser preciso preciso pedir - um olhar será suficiente. Que vai partilhar connosco toda a felicidade do mundo quando aquele projecto, para o qual trabalhámos sem parar, for um sucesso.

Que nos vai comprar chocolate quando a TPM atacar, e não vai ficar chateado com as nossas resmunguices.

Esse alguém que, logo de manhã, nos diz que somos lindas. Apesar do cabelo estar "all over the place" e dos restos de maquilhagem do dia anterior se notarem.

Alguém que, distraído, pega na nossa mão e a beija.

Alguém que, a meio de um jantar com amigos, se aproxima do nosso ouvido e sussura que nos ama.

 

Mas precisaremos nós desse alguém? Será mesmo verdade, essa história de que precisamos da outra metade da laranja para estarmos completos?

 

Pois, eu também não sei.

 

O que sei é que tenho uma vida boa. Estou de boa saúde. Tenho uma família que adoro e que sei que me adora. Tenho os melhores amigos que qualquer pessoa pode querer. Trabalho na área em que sempre sonhei trabalhar.

 

E, apesar disto tudo, apesar de ter uma vida completa, uma familia que amo e me ama, saúde, amigos, trabalho...

 

Será estranho este vazio que sinto cá dentro?

Será estranho o pouco sentido que tudo faz, se não te tenho comigo?...

 

...

 

Amo-te

 

 

sinto-me: pensativa...
música: Kiss the rain - Yiruma
publicado por Amora às 01:49

Eu amo-te. Tu não sabes. Eu nunca terei a coragem de te dizer.
mais sobre mim
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


posts recentes
arquivos
2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
blogs SAPO